.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Bem-vindo seja, o bom tem...

. Coimbra, meu amor...

. Evasão

. Notícia de Jornal*

. Que saudades!

. Dança latina

. Arroz vitaminado

. Sobremesa do Desenrasque

. Amo la vita colorata

. Cromos da Académica - boa...

.arquivos

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds

Terça-feira, 2 de Janeiro de 2007

As passas, essas opressoras!

Não comi as passas à meia-noite, nem fiz promessas. Relativamente às 12 passas/desejos tenho a dizer que na Madeira, enquanto lá vivi, tal coisa não era tradição. Em minha casa não era, garantidamente. Só quando migrei para Coimbra é que ouvi falar do peculiar ritual de comer passas na transição do ano. Apesar de não apreciar as uvas secas avulsas, fora dos bolos, rendi-me à tradição. Fi-lo para me sentir integrada e também por causa dos desejos, convenhamos... Era um martírio comer aquelas 12 passas. Engolia-as, uma a uma, ao mesmo tempo que formulava os benditos (malditos!) desejos, que nunca se realizavam (pelo menos no ano em que deviam acontecer). Este ano, libertei-me dessa "obrigação". Que felicidade! E não me lembro de alguma vez ter desejado acabar com o ritual. Foi uma coisa que me passou pela cabeça e me deu forças para resistir ao acto masoquista de engolir passas. O que me faz pensar que, provavelmente, muitos dos desejos que fui pedindo ao longo dos últimos anos dependiam apenas da uma intensa força de vontade capaz de me libertar de certas amarras. E eu a pensar que era inteligente!... Agora sim, vou ser feliz... e brincalhona. FELIZ ANO NOVO!

Nota: Engolir o que quer que seja é das coisas mais desprezíveis que um ser humano pode fazer. Engolir implica não saborear, rejeitar as sensações, boas ou más. Não quero fazer promessas, mas estou inclinada a prometer saborear melhor alguns detalhes da vida. Estamos nessa, amor?

sinto-me: À beira do pote do ouro
publicado por brincalhona às 18:56
link do post | brincar | favorito
|
6 comentários:
De Mário José de Castro a 2 de Janeiro de 2007 às 22:09
Como vamos nessa, se já estamos nela?
Acho até que de dia para dia o sabor é algo que se vai apurando, num misto de doçura e lambuzice.
O que, deixa-me dizer, é a sensação mais agradável do mundo.
Saborear-te é uma arte, mas também um desejo diário só ao alcance de quem te ama muito.
E isso, minha querida, tens como certo, para o resto da vida.
P.S. Agora pergunto eu: Vamos nessa, amor?
De brincalhona a 3 de Janeiro de 2007 às 10:13
A pergunta final foi mesmo uma provocação. É claro que já estou nessa!
De wordshow a 3 de Janeiro de 2007 às 12:14
Eu comi as doze todas de uma vez e os desejos que venham ao sabor do ano..foi o meu desejo. Ops, não se podia dizer.
De brincalhona a 3 de Janeiro de 2007 às 12:32
Que se concretizem todinhos.
De Ana Castro a 3 de Janeiro de 2007 às 12:46
eu até ia comentar mas perante a troca de galhardetes entre os meninos fiquei boquiaberta e sem palavras. ;) Supersticiosa como sou ainda não me libertei da desgraça das 12 passas que detesto. Este foi mais um ano em que, atabalhoadamente, fui pedindo os desejos e engolindo as passas auxiliadas por uma bebida qualquer que a minha tia touxe para as crianças ;)
Beijinhos tia e que para o ano estejamos todos juntos novamente a ver a tua sogra e minha avó a devorar os doces como se não houvesse amanhã.
Beijinhos e que este ano seja O ano! :)
De brincalhona a 3 de Janeiro de 2007 às 13:00
Que assim seja - O ano!
Vamos fazer por isso.
Beijinhos

Comentar post

.links